na cabeceira

literatura & diarices

Retrospectiva literária 2019

Ainda não senti o baque de fim de ano. A comemoração do Natal passou de forma estranha. Teve comida, teve doce, teve festa, mas não consegui sentir um encerramento de ano ainda. Apenas olhando pra tudo o que li em 2019 é que tenho uma noção de quanto tempo passou. Até agora, foram 49 leituras - mas acho que logo se tornarão 50, já que ainda estou lendo um livro. 

Foto: Querido Clássico

Lidos em 2019


Os vestígios do dia • A morte da verdade • Cat Person e outros contos • Crepúsculo • Lua Nova • Eclipse • Amizades, cacatuas e outras coisas fora de controle • Mulheres na luta • Daisy Jones & The Six • The monstrous-feminine • A bruxa não vai para a fogueira neste livro • Maternidade • O dia em que Selma sonhou com um ocapi • Fama & anonimato • Minha coisa favorita é monstro • A metade sombria • Guerra sem fim • Mulheres e poder: um manifesto • Jornalismo literário • Guerra e imprensa • A Primeira Guerra Mundial e a imprensa brasileira • A primeira vítima • Afiadas: as mulheres que fizeram da opinião uma arte • O cemitério • Meu ano de descanso e relaxamento • Enfim, capivaras • Máquinas como eu • Periodismo de guerra • A viúva de safira • O mundo de Lore: criaturas estranhas • Jornalismo literário para iniciantes • Radical chique e o novo jornalismo • Jornalismo literário: teoria e análise • Jornalismo literário: uma introdução • Má feminista • Sessão da meia-noite com Rayne e Delilah • Ed e Lorraine Warren: Demonologistas • História da bruxaria • Imaginary friend • Ninguém vai lembrar de mim • Mulherzinhas • Mulheres e ficção • O ano do macaco • Os manuscritos perdidos • O álbum branco • The return • Era uma vez uma mulher que tentou matar o bebê da vizinha • Rua Aribau • Carta à rainha louca

Seguindo a tradição dos anos anteriores, vamos às categorias:

Maior livro 


Imaginary friend, do Stephen Chbosky, com 720 páginas. 

Menor livro 


Rua Aribau, uma coletânea de poemas escritos por mulheres brasileiras, com 78 páginas. 

Melhores do ano 




The monstrous-feminine, da Barbara Creed 
O dia em que Selma sonhou com um ocapi, da Mariana Leky 
Daisy Jones & The Six, da Taylor Jenkins Reid 
Afiadas: as mulheres que fizeram da opinião uma arte, da Michelle Dean 
Meu ano de descanso e relaxamento, da Ottessa Moshfegh 
O cemitério, do Stephen King 
Cat person e outros contos, da Kristen Roupenian 
Demonologistas: Ed & Lorraine Warren, do Gerald Brittle 
Os manuscritos perdidos de Charlotte Brontë, de várias pesquisadoras da vida das irmãs Brontë



Melhores releituras 


Comecei o ano relendo a saga Crepúsculo e foi bom demais. Meu eu adolescente está escandalizado, mas meu eu adulto está bem feliz por curtir uma história adolescente de vampiros. 

Quote preferido 


“Não que eu estivesse me suicidando. Na verdade era o oposto de um suicídio. Minha hibernação era uma medida de autopreservação. Eu achava que aquilo salvaria minha vida.” 
(OTTESSA MOSHFEGH, Meu ano de descanso e relaxamento) 

2 Comentários

  1. Eu te entendo totalmente sobre o lance de não saber que o fim do ano chegou, porque eu já passei por isso, e chega a ser bem estranho. Meta para 2020: Ler mais livros!

    Feliz 2020, Yeah, Dream High!

    ResponderExcluir
  2. Adoro retrospectivas literárias!!!
    Tenho curiosidade em ler Meu Ano de Descanso e Relaxamento, quem sabe esse ano, hehe

    Limonada

    ResponderExcluir

Postar um comentário