na cabeceira

literatura & diarices

Monster, she wrote: descobrindo mulheres do terror


Terminei a leitura de Monster, She Wrote: The Women Who Pioneered Horror and Speculative Fiction com uma lista enorme de literatura escrita por mulheres para ler. Dia desses, um rapaz entrou em contato comigo com perguntas a respeito do Oscar e de como a premiação odeia filmes de terror, isso porque, no início do ano, escrevi um artigo sobre o tema (que foi excluído, junto de outros cinquenta e poucos textos, do site onde havia sido originalmente publicado, por isso não posso linká-lo aqui). Enquanto escrevia as respostas para as questões do rapaz, me peguei pensando que não é apenas na Academia que o terror é deixado de lado. E que, mesmo quando o gênero é aceito, a aclamação vai para mãos de homens. Mulheres, ainda que sejam prolíficas e tenham obras de qualidade, acabam sendo esquecidas pela história, com poucas exceções. Por isso, a importância do resgate das obras e das memórias dessa mulheres, e é aí que entra o quanto amei esse livro. 

Escrito por Lisa Kröger e Melanie R. Anderson, o livro foi publicado no ano passado, pela Quirk Books e, ainda que não tenha sido traduzido para o português, vale a leitura para quem entende a língua inglesa. As autoras não nos apresentam apenas uma lista de mulheres a serem lidas, mas nos fazem refletir sobre suas vidas, trajetórias dentro da escrita e sobre a condição da mulher na sociedade, tanto no âmbito profissional quanto fora dele. 

É incrivelmente frustrante perceber que vários dos nomes que elas compilaram para a publicação foram esquecidos, ainda que tenham alcançado certo sucesso em seu tempo. Os nomes de escritores da época, entretanto, permanecem sendo lidos, pesquisados e lembrados. Como é dito em determinado momento no livro: "Peharps the weirdest tale is how we've managed to forget the women who created such amazing stories"

"Talvez o conto mais estranho seja como conseguimos esquecer as mulheres que criaram histórias tão incríveis." 

Cabe a nós fazer a nossa parte para que as mulheres sejam lidas - tanto as clássicas quanto as contemporâneas. 

Abaixo, uma pequena lista de obras que me chamaram atenção no livro e separei para ler: 

  1. O Mundo Resplandecente, de Margaret Cavendish
  2. Mad Madge: The Extraordinary Life of Margaret Cavendish, Duchess of Newcastle, the First Woman to Live by Her Pen, de Katie Whitaker
  3. Os Mistérios de Udolpho, de Ann Radcliffe
  4. O Último Homem, de Mary Shelley
  5. Mathilda, de Mary Shelley
  6. Clermont, de Regina Maria Roche
  7. The Children of the Abbey, de Regina Maria Roche
  8. The Castle of Wolfenbach: A German Story, de Eliza Parsons
  9. The Orphan of the Rhine, de Eleanor Sleath
  10. Manfrone; or, the One-Handed Monk, de Mary Anne Radcliffe
  11. Barozzi; or the Venetian Sorceress, de Catherine Smith
  12. Zofloya, de Charlotte Dacre
  13. The Old Nurse's Story and Other Tales, de Elizabeth Gaskell
  14. Lois the Witch, de Elizabeth Gaskell
  15. Hauntings and Other Fantastic Tales, de Vernon Lee
  16. The Works of Margaret Oliphant, de Mrs. Oliphant
  17. The Ghost Stories of Edith Wharton, de Edith Wharton
  18. The Bishop of Hell and Other Stories, de Marjorie Bowen
  19. The Queen's Caprice, de Marjorie Bowen
  20. Demon Lover, de Dion Fortune
  21. Sisters, de Daisy Johnson
  22. Burn Our Bodies Down, de Rory Power
  23. Shirley Jackson: A Rather Haunted Life, de Ruth Franklin
  24. Shirley, de Susan Scarf Merrell
  25. Isobel, de Jane Parkhurst
  26. Familiar Spirit, de Lisa Tuttle
  27. White is for Witching, de Helen Oyeyemi
  28. The Woman in Black, de Susan Hill
  29. The Moth Diaries, de Rachel Klein 

1 Comentários

  1. A proposta desse livro é muito bacana!
    Nunca tinha realmente parado para refletir sobre oscar x filmes de terror, mas faz total sentido.
    Fora Mary Shelley não conheço nenhuma dessas autoras. Vou procurar quais foram traduzidas!

    ResponderExcluir

Postar um comentário