na cabeceira

literatura & diarices

A tag do vampiro


"oh to be a vampire in the 1800s with no responsibilities other than
being sexy and luring naive men into my gothic mansion"


Vampiros são as minhas criaturas sobrenaturais preferidas. Nascidos da criatividade advinda do medo da morte, eles figuram em lendas e ficção há séculos. Sou tão fascinada por eles que fiz um episódio inteirinho de podcast destinado a entender como surgiu a figura do vampiro que tanto amamos atualmente. E, embora a ~~moda tumblr~~ tenha passado, eu continuo utilizando aquele espaço da melhor maneira possível: vendo coisas de que gosto e que me fazem bem. Uma dessas coisas é o submundo vampiresco do tumblr, risos. Vi essa tag por lá e decidi traduzi-la para o blog. 

🦇 - Se você fosse um vampiro, em que animal se transformaria?

Morcegos são clássicos e eu amo a ideia de sair voando por aí, transformada num serzinho alado fofo que as pessoas acham ameaçador. Também gosto muito da cena dos ratos em Drácula de Bram Stoker, do Coppola. Mas eu não gostaria de ser um rato, risos. Embora vampiros estejam associados a criaturas "das trevas", eu gostaria de me transformar em uma raposa. É algo fofo, inusitado e que pode circular pelos lugares mais ou menos tranquilamente. Fora que o conceito de uma raposa-vampira é perfeito. 

🖤 - O que você pensa sobre romances entre vampiros e humanos em livros e filmes?

A população vampiresca é mais limitada do que a humana, então acho coerente que um ou outro apaixone-se por um humano em algum momento. Porém, a não ser que eles transformem o amado em vampiro, acho que é puro drama adolescente, o que me cansa um pouco. Humanos, afinal de contas, são comida para os vampiros e simplesmente não faz sentido você ter um romance com alguém a quem quer matar e se alimentar o tempo inteiro. 

💀 - Qual trope de vampiro te irrita mais e de qual você mais gosta?

Eu amo a de que o vampiro precisa ser convidado para entrar. Isso causa ótimas cenas sempre e é uma ideia interessante, a de que um vampiro é um ser condenado que, embora imortal, pode apenas pertencer ao que é de todos, sendo limitado a um certo convívio social para poder ir a locais privados. Quanto a que me irrita... depende muito da narrativa dada a ela. A da cruz, por exemplo, eu acho meio exagerada porque é intrinsecamente ligada ao cristianismo, numa oposição entre Bem e Mal. No entanto, quando bem trabalhada, pode ficar interessante numa história. A do espelho eu acho bobinha, mas resulta em cenas interessantes, dependendo do contexto. Acredito que tudo depende de quem conta a história, muito mais do que as ferramentas narrativas utilizadas para tal. 

🕸 - Se você fosse um vampiro, como seria seu covil?

Honestamente, se não for para viver como os bonitos de What We Do In The Shadows, qual é o objetivo?


🥀 - Que tipo de vampiros são os mais legais, na sua opinião?

Amo os vampiros que aproveitam a eternidade para fazer coisas de que realmente gostam, especialmente se isso envolver alguma espécie de prática artística, como a literatura ou a música. Quer dizer, você tem todos esses séculos disponíveis, por que não usá-los para tornar-se o melhor naquilo que você gosta? Acho meio sem propósito quando retratam vampiros que vivem apenas em busca de uma caça. Embora faça algum sentido, gosto de vampiros que vão além do óbvio (isso parece descrição de site de namoro, risos; vampiro solteiro procura). 

🎬 - Qual é o seu filme ou série favorito sobre vampiros?

Meu filme favorito sobre vampiros é Drácula de Bram Stoker. Embora ele seja um romance que muda muito a história original, é bonito e bem-feito, com tudo amarradinho. As atuações são ótimas, os efeitos práticos são perfeitos e toda a paleta de cores... simplesmente maravilhosa. Menções honrosas para The Kiss of the Vampire, The HungerOnly Lovers Left Alive e What We Do In The Shadows

📖 - Qual é o seu livro favorito sobre vampiros?

Aqui, fico com os clássicos: Drácula, de Bram Stoker (Mina Harker merece muito mais reconhecimento, que personagem incrível) e O Vampiro, do Polidori. (Mas e Anne Rice? Olha, eu só gosto da Ana Arroz quando ela escreve sobre bruxas. Acho Entrevista Com o Vampiro chatíssimo. Mas tenho curiosidade pra ler os outros livros de vampiros dela, em parte por causa do Lestat, que é chiliquento, mas divertido, e com uma aesthetic perfeita.) 

🎻 - Qual é a sua música, com temática sobre vampiros, favorita?

Total Eclipse of the Heart, da Bonnie Tyler. Quer dizer, existem mil outras músicas de que eu gosto que falam mais abertamente sobre vampiros (como a If I Was Your Vampire, do Marilyn Manson, que é perfeita), mas desde que descobri que a música da Bonnie Tyler é sobre vampiros, fui totalmente rendida. Eu já gostava dela antes, mas agora? Amo. Especialmente quando penso em toda a estética brega dos anos 80 daquele clipe. É maravilhosa. É uma espécie de Dead Poets Society com vampiros.


📿 - Que medidas estereotipadas anti-vampiro te machucariam se você fosse um?

Acho que não tem como sair ileso de uma estaca no coração, risos. Fora isso, gosto da ideia de alho ser algo potencialmente perigoso para vampiros. É um tempero, pelamordedeus. Simplesmente incrível. Especialmente porque adoro colocar alho em tudo, então daria ótimas cenas de alívio cômico, risos. 

😈 - Você acha vampiros atraentes? 

Adam, de Only Lovers Left Alive? Sim. O vampirão azul de Salem's Lot? Não.

🎃 - Descreva sua aesthetic vampiresca.

Batom vermelho sangue, uma casa cheia de coisas antigas, roupas vitorianas em tons de preto e vermelho, vestidos esvoaçantes off-white, viver numa mansão gótica, ter uma biblioteca com primeiras edições de todos os livros clássicos, compôr músicas ao piano, passar noites escrevendo livros sob pseudônimos, admirar tranquilamente a eternidade.

Ou, como diria Vladislav:

~dead but delicious~

2 Comentários

  1. AMEI suas respostas :D

    Concordei com a maioria das coisas que você contou e isso me fez lembrar de uma época em que eu gostava demais de vampiros (e bruxas também) que até escrevi uma série de poemas contando a história de um vampiro e a mulher por quem ele se apaixona, mas infelizmente se perdeu para todo sempre, pois estavam em um caderno que deve ter ido pro lixo =(((((
    Mas é legal relembrar desse gosto, só que ainda não sei porque me desviei dele... Essa aesthetic que você descreveu na última pergunta é PERFEITA, vejo exatamente assim também hihihi
    Beijooo, Mia!

    ResponderExcluir
  2. MEU EU TÔ MUITO MUITO APAIXONADA POR ISSO!

    Você me inspirou a levar além esse meu fascíneo pelo universo vampiresco. Uma obra que amei muito conhecer foi Castlevania (vi a série da netflix)!

    ResponderExcluir

Postar um comentário