na cabeceira

literatura & diarices

Clubinho das Damianas

Este texto foi escrito em junho, e o Eurovision aconteceu antes disso, mas cá estou eu, só lembrando dele meses depois. Segue o baile. 

Sempre pensei que o Eurovision fosse uma banda. Eu ouvia as pessoas falarem em Eurovision e pensava "ah, a banda". De onde tirei isso, jamais saberei. Mas permaneci com esse pensamento até semana passada, quando ouvi um episódio do podcast das gurias do Os Fantasmas Nos Divertem no qual elas passam uns bons minutos comentando sobre as apresentações e o vencedor do Eurovision 2021. Em seguida, uma amiga minha mandou altas mensagens falando sobre a banda Maneskin e especialmente seu vocalista, Damiano, que aparentemente tornou-se o namoradinho de todo mundo. 

Fui obrigada a assistir ao Eurovision, portanto. Felizmente, o festival possui um canal no youtube com a transmissão completa do evento. Antes de começar a falar de fato sobre as apresentações, deixa eu só dizer que não apoio em nada a realização desse evento em pleno ano de pandemia. Sei que a Europa está melhor do que o Brasil no quesito vacinação, mas a pandemia ainda não foi controlada e é perigoso demais reunir aquele bando de gente num só local, todo mundo sem máscara, pra ver shows. Mas okay, já aconteceu, então vamos lá. 

Não tem como não gostar, né? Música boa, apresentações excelentes, gente animada, deu até uma emoção pensar num futuro no qual um evento desses será possível (e olha que eu nem gosto de show haha). A gente planeja se mudar pra algum lugar da Europa (França? Alemanha?) no ano que vem, então já coloquei na cabeça que vamos ao Eurovision assim que for possível sim, risos. Também consigo entender por que as pessoas estão tão obcecadas pelo Damiano. Quer dizer, o homem é bonito de forma padrão, ainda que seja um padrão mais daqui (moreno, sem ser aquela coisa branco-loiro-olho-claro), todo trabalhado na sensualidade e com um estilo perfeito de glam rock. Maravilhoso. 

Aqui vai a minha lista das apresentações de que mais gostei. 

10 years - Daði Freyr 

Não sei explicar o quanto eu gosto dessa música e dessa performance. É tudo tão absolutamente esquisito - mas o meu tipo de esquisito. Todo mundo ali no palco parece ter saído de um programa infantil e isso é maravilhoso. Gosto da música, do ritmo, da letra, da coreografia fofíssima deles, das roupas combinando, do teclado que se une para fazer um mini círculo musical!!!! Fora que ninguém está tentando ser sensual ou nada do tipo - pelo contrário, todo mundo está super "nerd à moda antiga", por assim dizer. Nada contra sensualidade em uma apresentação musical, mas realmente gosto de como eles fizeram algo diferente e chamam atenção por um lado praticamente oposto a esse. É fofo, bonitinho e com uma ótima música. 



El diablo - Elena Tsagrinou 

Pop chiclete bem encaixado no padrão, mas eu gosto. É uma música de ritmo genérico, porém bem feito, e às vezes é só disso que a gente precisa. Contudo, o ponto alto pra mim é esse ritmo. Tinha duas bandas de rock no Eurovision e nenhuma delas cantou uma música satânica - a tarefa foi parar com essa guria do pop padrão. A música literalmente fala que ela ama o diabo e conta até com um coro infantil(?) que remete às crianças de A Hora do Pesadelo cantando "I love el diablo". Achei genial, honestamente - e um pouco creepy haha 

Dark Side - Blind Channel 

Eu honestamente queria dizer que não gosto dessa música porque eu achei a história dos rapazes da banda afirmarem que criaram um novo gênero musical chamado pop violento algo completamente risível e meio arrogante. Quer dizer, isso é nu metal, meninos. Vocês não inventaram a roda. E pop violento, para mim, é a Lady Gaga usando um vestido de carne, sabe? Mas a verdade é que eu gostei bastante da música. Ela é bem feita, tem uma ótima estrutura e a letra é provocativa, meio suicida e coesa. Gosto disso. Além de que eu sou uma pessoa do rock, né. É o que eu mais gosto de ouvir. Então, é sempre bom quando surge uma banda nova e com qualidade que consegue se destacar nesse meio. Como os rapazes disseram: rock 'n roll never dies!!!! 

Zitti e buoni - Maneskin 

A grande vencedora do Eurovision. O Maneskin saiu do reggae (melhores clipes) para navegar nas águas do glam rock - e, olhando para as raízes setentistas do subgênero, é fácil ver vários cantores da época cujas performances eram mais gritaria - num sentido mais cru do cantar - do que algo trabalhado vocalmente para ser melodioso e encorpado. São estilos. Mas realmente acho que o menino Damiano seria mais arraso ainda caso investisse nisso. Da apresentação nem tem o que dizer: acredito que eles venceram, inclusive, por causa da interpretação no palco. A banda é carismática, eles se entrosaram muito bem e as roupas eram simplesmente maravilhosas. Por um momento, parecia que eu estava vendo a gravação de um show de uma banda desconhecida dos anos 1970 feita por um viajante do tempo com boa tecnologia de filmagem. Glam rock, amo. 

Update: tenho ouvido bastante o Maneskin, amando tudo o que eles fazem e até escrevi sobre como eles resgataram a monstruosidade do rock clássico em suas músicas e estilo



I don't feel hate - Jendrik 

Eu sei que ninguém gostou dessa música, mas eu gostei. Adoro gente que não se leva a sério demais, especialmente dentro do meio musical, que é sempre tão repleto de pessoas se achando o suprassumo da criação artística. A música é fofa, a letra é maravilhosa, a performance foi muito divertida e o menino vocalista é simpático. Achei demais mesmo. 

Love is on my side - The Black Mamba 

Não tenho muito o que dizer sobre essa banda para além de: não é o meu tipo de música, mas a voz do vocalista é ótima. Gostei. 

1 Comentários

  1. Queria que todos os festivais fossem disponibilizados no YouTube. Sei que tem artistas que defendem a experiência do show e tals, mas não sou o tipo de pessoa que curte ficar no meio de multidões (já não gostava antes da pandemia, agora então... Provavelmente vou precisar de uma reabilitação para aprender a viver no meio das pessoas outra vez). Se eu pudesse, assistiria todos os shows pelo YouTube. Das bandas que você citou, só conheço o Maneskin. Mas vou procurar as outras para ouvir porque quero muito recuperar o hábito de ouvir músicas novas (ao invés das mesmas 10 hahaha). E essa é a melhor parte dos festivais: conhecer bandas novas :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário